Núria Oliveira
4 min

Segurança é a palavra de ordem quando se oferece conexão à rede WiFi de forma aberta e amplificada. Um dos caminhos mais utilizados na área de TI de empresas de médio e grande porte é a instalação do Firewall. Mas será que só esta proteção garante a segurança que você e a sua empresa precisam?

Como recordar é viver, vale lembrar que Firewall é uma solução de segurança baseada em hardware ou software. Ao configurar um conjunto de regras, o Firewall analisa todo o tráfego de entrada e saída da rede e bloqueia acessos determinados pela Diretoria ou pela equipe de TI.

Um muro que pode demorar para construir

Por exemplo: Na sua empresa, foi determinado que não será permitido o acesso ao Facebook. Você, como um analista, pode fazer isso na configuração do Firewall. Mas, neste exemplo em questão, começam a surgir alguns problemas de praticidade na ação. O Facebook mesmo pode ter centenas de IPs, o que fará do processo de bloqueio algo moroso e que sempre necessitará de update.

Fora isso, o Firewall não é um sistema totalmente inquebrável. Ele pode ser derrubado com algum DoS (denial of service). Pois é: já que o Firewall analisa tudo o que está passando na rede, se for feito um “atalho” via VPN, os acessos não serão mais rastreados. Muito além de quebrar regras de ambiente de trabalho, uma empresa pode ser responsabilizada e penalizada por um cibercrime sem nunca conseguir sequer encontrar o culpado.

Mas o Firewall é ruim?

Não, mas ele pode ser ineficiente para alguns casos, como no fornecimento de acesso a rede WiFi. Além da necessidade ser sempre adequada a quantidade de acessos, o Firewall aplica uma segurança limitada, principalmente quando estamos falando de acessos de usuários convidados (ou seja, pessoas que não são colaboradores da empresa) na sua rede. 

É nessa hora que um serviço de gerenciamento de hotspot torna-se mais importante. É ele quem vai garantir uma barreira extra de proteção, sem conflitos com o Firewall.

Mais segurança, mais prevenção

Há uma outra maneira de realizar a restrição de acessos na rede. Enquanto o Firewall tem como função bloquear determinados IPs, uma outra ferramenta conhecida como Filtro de Conteúdo – que pode trabalhar em paralelo ao Firewall, pode realizar o bloqueio de domínios. (Você pode entender melhor a diferença entre os dois modelos de bloqueio aqui.)

No entanto, nenhuma das duas funcionalidades é capaz de identificar quem realizou a tentativa maliciosa sem o auxílio de um sistema de hotspot, como o WSpot.

O WSpot, então, funciona como uma camada extra de proteção, visto que obriga ao usuário a passar por uma autenticação em um captive portal. 

Todos os dados de cada usuário serão armazenados na nuvem, garantindo assim a segurança da empresa quanto ao Marco Civil da Internet, lei que responsabiliza o dono da rede por possíveis crimes virtuais que possam vir a ser cometidos nela.

A configuração do WSpot é simples e funciona perfeitamente em conjunto com o Firewall. Basta fazer uma liberação de duas portas com destino aos servidores WSpot e pronto.

Se você quiser saber mais sobre o software e entender quais são os equipamentos compatíveis, acesse este conteúdo completo ou acione nossos especialistas para conversar e entender melhor como o WSpot pode ser aplicado no seu negócio. 

Sobre o autor:
Núria Oliveira – Analista de Marketing
Fã do Kotler, amante do marketing digital e vidrada em análise de dados
• Linkedin