Michele Lopes
4 min

A gestão eficiente de uma rede, vai muito além de apenas garantir uma boa conexão para os usuários. Ela começa desde a infraestrutura técnica, até como os usuários e visitantes estão fazendo uso dessa conexão.

E é principalmente quando chegamos na parte de como os usuários utilizam a rede, que uma ferramenta como o Filtro de Conteúdo se faz muito importante para a segurança da empresa.

O QUE É

É possível que você já tenha ouvido falar sobre Filtro de Conteúdo anteriormente com outras nomenclaturas, como proxy web, filtro de internet, filtro da web, bloqueio de sites, content filter, entre outros.

O Filtro de Conteúdo é uma ferramenta que auxilia na gestão de redes, restringindo os acessos a sites, ou categorias de sites, que são pré- determinados pelos responsáveis da rede.

QUANDO É NECESSÁRIO USAR ESSA FERRAMENTA NA REDE?

Algumas empresas enxergam a restrição de acessos como uma garantia de foco e produtividade.

Também pode funcionar como uma forma de liberar um acesso específico, por exemplo uma instituição de ensino que deseja permitir o acesso apenas ao seu portal de estudos.

Mas, sempre que uma empresa oferecer conexão WiFi, seja para os colaboradores, clientes ou visitantes, é necessário ter algumas “medidas preventivas” que protejam a rede de determinadas infrações.

Pensando em legislações como o Marco Civil da Internet*, sabemos que o proprietário da rede é o primeiro a ser acionado em casos de cibercrimes.

Uma ferramenta de bloqueio de sites, em um cenário como este, garante uma camada a mais de proteção.

Em conjunto com outros meios de segurança, como um Hotstpot por exemplo, o Filtro de Conteúdo age prevenindo que sites que possam configurar qualquer tipo de cibercrime sejam acessados, assim como pode impedir o acesso a sites que podem ser considerados de risco em relação a vírus e outros tipos de ataques.

COMO FUNCIONA A RESTRIÇÃO DE ACESSOS

Algumas ferramentas trabalham com o bloqueio pelo método de Proxy Web, outras fazem o filtro através do DNS, que em muitos casos se mostra mais eficiente por não concentrar o tráfego de acessos em si.

A restrição de acesso também pode ser feita de duas maneiras diferentes:

  • Bloqueio de termos ou categorias de sites que não podem ser acessados na rede;
  • Permissão de acesso apenas aos sites escolhidos pela gestão de rede e, consequentemente, bloqueio de todos os outros.

A forma de bloqueio mais eficiente para Filtros de Conteúdo é através da escolha de categorias de sites, na qual um software realiza constantemente a categorização dos sites de acordo com seus conteúdos, e o gestor de rede pode determinar quais as categorias deseja bloquear, como é o caso do Filtro de Conteúdo que temos no WSpot.

FILTRO DE CONTEÚDO VS FIREWALL

Aqui no nosso blog temos um conteúdo completo explicando mais detalhadamente o assunto, mas vou resumir para você a diferença entre Firewall e Filtro de Conteúdo.

Enquanto o Firewall trabalha com restrição de acessos, através de regras que bloqueiam endereços de IP e portas de acesso, o Filtro de Conteúdo irá trabalhar diretamente com o bloqueio de termos ou categorias de sites, sem a necessidade de estabelecer regras ou realizar a atualização dessas regras constantemente.

COMO É O FILTRO DE CONTEÚDO WSPOT

Para solicitar o Filtro de Conteúdo junto com o seu WSpot, primeiro você deve entrar em contato com nosso time comercial (pode ser por aqui).

Lembrando que, no momento, esta é uma ferramenta disponível apenas para os aparelhos Mikrotiks.

Com a função habilitada e configurada no modelo que for melhor para sua rede, o dashboard do Filtro fica disponível dentro do módulo de gestão dos pontos de acesso, no painel do seu WSpot. 

Neste dashboard, estão listadas as categorias e domínios mais bloqueados na sua rede, assim como os mais acessados também, como ilustrado abaixo:

Sobre o autor:
Michele Lopes – Analista de Marketing
Amante de tecnologia e marketing, mãe de pet e apaixonada por pessoas
• Linkedin