Ana Beatriz
4 min

Em julho de 2020, a Apple divulgou uma novidade na atualização iOS 14 que passou desapercebida para muitos: a habilitação automática do recurso “Use Private [WiFi] Address” (Endereço WiFi Privado, em português). 

Acima de tudo, é importante destacar que a novidade faz parte de uma tendência no mercado na busca pela maior privacidade do usuário. Neste caso da atualização, por exemplo, fica mais difícil o rastreio dos usuários através do MAC Address.

O endereço MAC (Media Access Control) é uma combinação de números e caracteres utilizado para identificar o hardware de máquinas ou dispositivos conectados a uma rede WiFi. 

Além disso, é importante lembrar que o recurso “Endereço [WiFi] Privado” sempre esteve disponível em ambos sistemas operacionais, mas não vinha habilitado como padrão

Como funciona o recurso Endereço WiFi Privado?

De maneira bem simples, o recurso randomiza o MAC (Media Access Control) Address para rede em que o dispositivo se conecta. 

Quando a Apple divulgou a atualização no iOS 14 em julho, a notícia causou alvoroço no mercado de WiFi internacional.

Isso porque havia a possibilidade da randomização ser feita a cada 24 horas, ou seja, o endereço ficaria diferente toda vez que voltasse a se conectar no mesmo SSID. 

Empresas como hotéis, varejo e restaurantes, que utilizam o registro de MAC Address em seus sistemas de WiFi para identificar assiduidade ou até mesmo o retorno de cliente ao ambiente físico, seriam prejudicadas com a mudança desta forma.

No entanto, a Apple voltou atrás e decidiu que a randomização seria feita uma única vez dentro de uma rede WiFi, o que se confirmou no lançamento da atualização em setembro deste ano. 

O que muda no processo de conexão?

Funciona da seguinte forma: para cada SSID que o dispositivo se conecta, será gerado um MAC Address aleatório e distinto, baseado no nome da rede. 

A experiência do usuário não mudará nada. Quem terá um pouco mais de trabalho será o gestor da rede WiFi, já que a cada dispositivo atualizado com o sistema operacional Android 10 ou iOS 14, terá um novo MAC Address gerado.

Essa mudança impacta recursos e regras de acesso para dispositivos que utilizam o MAC Address como chave de identificação no ato da conexão.

Lembrando que, depois da atualização do dispositivo, este MAC Address será sempre o mesmo naquela mesma rede. 

Marco Civil X MAC Address?

Para quem trabalha com WiFi público ou corporativo, fica a pergunta: mas como faz com o Marco Civil?

Isso porque o MAC Address é um dado necessário para identificar o autor de possíveis crimes cibernéticos na rede, sendo seu armazenamento primordial para a manutenção da segurança da empresa. 

Neste caso, nada muda: apesar de ser randomizado, ainda é possível saber qual é o dispositivo e quem é o proprietário dele. Esse processo de rastreio continua o mesmo. 

Para quem precisa de uma solução que gerencie de forma segura e inteligente os acessos via WiFi, o WSpot trabalha na autenticação e armazenagem dos dados – inclusive dos MAC Address dos usuários -, ajudando assim no gerenciamento da rede e dos dados. 

Se você oferece WiFi para visitantes, a melhor forma de oferecer uma conexão sem dor de cabeça para você e com alta performance para quem se conecta é por meio de um sistema de gestão WiFi como o WSpot.

É este software que irá fazer todo o processo de autenticação pelo captive portal e armazenamento dos dados necessários para o cumprimento da lei do Marco Civil da Internet. Agende um bate-papo com nossos especialistas e saiba mais.

Sobre o autor:
Ana Beatriz – Analista de Marketing
Entusiasta do marketing de conteúdo e apaixonada por pessoas.
• Linkedin